Ericsson uses technology for good to help reconnect refugees worldwide. With more than 42 million refugees in the world, many affected by political conflict and natural disasters, the added desperation of being separated from their family and friends without feasible means of tracing them can only compound their suffering.


Posted by Maria * 9:30 da tarde * 1 comments



*
I be on my suit and tie shit, tie shit


  Can I show you a few things?
A few things, a few things, little baby cause
I be on my suit and tie shit, tie shit
 
 
Let me show you a few things

 
black and white

And you're dressed in that dress I like
Love is swinging in the air tonight
Let me show you a few things
Let me show you a few things
Show you a few things about love
While we're in the swing of love


Posted by Maria * 12:03 da manhã * 0 comments


So sweet and delicious do I become,
when I am in bed with a man H.
who, I sense, loves and enjoys me,
that the pleasure I bring

excels all delight,
so the knot of love, however tight
it seemed before, is tied tighter still.

#
 



Posted by Maria * 7:22 da tarde * 0 comments

 
 ...being vulnerable is the only way to allow your heart
to feel true pleasure that’s so real it scares you.


Posted by Maria * 11:21 da tarde * 1 comments

 
 
Bryan Talbot, Mark Buckingham, Steve Craddock and Neil Gaiman
 
published in AARGH! (Artists Against Rampant Government Homophobia!)


Posted by Maria * 3:56 da tarde * 0 comments




Posted by Maria * 9:30 da tarde * 0 comments

"O que é que te apetece fazer hoje?"
Estávamos deitados no chão do nosso quarto, enrolados em lençóis, o seu peito era a minha almofada. Uma almofada maciça, sardenta e muito sexy.
"Podíamos ir a outro museu..."
"Gostaste assim tanto das coisas que te fiz?"
Levantei a cabeça do seu peito para que ele pudesse ver o meu ar exageradamente confuso.
"Se bem me lembro não me tocaste uma única vez."
"Não era preciso..." e o H. sorriu. Sorriu e o meu coração explodiu. Sorriu e a minha boca secou. Sorriu e eu fiquei molhada. Os seus sorrisos deveriam ter bolinha vermelha... não... os seus sorrisos deveriam ser considerados ilegais, a pena mínima prisão perpétua e a sentença cumprida entre as minhas pernas, de preferência algemado à minha cama [quem disse que o casamento mata o desejo sexual é porque casou com a pessoa errada...]. "Vamos a um lugar completamente diferente, ao ar livre*..."
"Que bom, está um dia tão bonito, não queria desperdiçá-lo entre quatro paredes."
"O que nós dois costumamos fazer entre quatro paredes nunca é um desperdício. O que nós dois acabámos de fazer há vinte minutos atrás e o que vamos fazer daqui a cinco minutos nunca é um desp..."
"Daqui a cinco minutos? Achas que consegues recuperar tão rapidamente depois de tudo o que fizémos?"
"Olha para mim."
"Eu estou a olhar para ti."
"Estás a olhar para a minha cara. Olha para mim."
Olhei para baixo.
Engoli em seco.
Olhei para a cara dele.
Lambi o lábio superior.
Olhei para baixo.
Mordi o lábio inferior.
Olhei para a cara dele outra vez.
"E tu estás pronta? Porque afinal não vou precisar de cinco minutos."
Puxei os lençóis e atirei-os para cima da cama.
"No chão? Ou na cama?" perguntou, o seu sorriso ilegal destruindo por completo a minha sanidade, os seus olhos dourados queimando-me como ferro em brasa...
"No chão. Agora. Já. Imediatamente."
Como resposta ele rolou o corpo de forma a ficar por cima.
"Agora." e entrou "Já." e saiu "Imediatamente." e entrou "Satisfeita?" e saiu.
"Ainda não." enlacei-o pela cintura com as minhas pernas e forcei-o a entrar dentro de mim novamente.
"Ainda não?" agarrou os meus joelhos com força, libertou-se das minhas pernas e eu fiquei completamente aberta para ele "Coloca as mãos acima da cabeça e não te atrevas a tirá-las de lá."
"Porque é que achas que vou obedecer?"
"Tu vais obedecer porque queres obedecer. Porque gostas de obedecer."
E o H. começou a mexer-se. Oh. Meu. Deus. Obedecer é tão bom...


*Jardins Garcia D'Orta


Posted by Maria * 5:34 da tarde * 0 comments

I prefer movies.
I prefer cats.
I prefer the oaks along the Warta.
I prefer Dickens to Dostoyevsky.
I prefer myself liking people to myself loving mankind.
I prefer keeping a needle and thread on hand, just in case.
I prefer the color green.
I prefer not to maintain
that reason is to blame for everything.
I prefer exceptions.
I prefer to leave early.
I prefer talking to doctors about something else.
I prefer the old fine-lined illustrations.
I prefer the absurdity of writing poems to the absurdity of not writing poems.
I prefer, where love’s concerned, nonspecific anniversaries that can be celebrated every day.
I prefer moralists who promise me nothing.
I prefer cunning kindness to the over-trustful kind.
I prefer the earth in civvies.
I prefer conquered to conquering countries.
I prefer having some reservations.
I prefer the hell of chaos to the hell of order.
I prefer Grimms’ fairy tales to the newspapers’ front pages.
I prefer leaves without flowers to flowers without leaves.
I prefer dogs with uncropped tails.
I prefer light eyes, since mine are dark.
I prefer desk drawers.
I prefer many things that I haven’t mentioned here to many things I’ve also left unsaid.
I prefer zeroes on the loose to those lined up behind a cipher.
I prefer the time of insects to the time of stars.
I prefer to knock on wood.
I prefer not to ask how much longer and when.
I prefer keeping in mind even the possibility that existence has its own reason for being.

Possibilities by Wislawa Szymborska
{translated by Stanislaw Baranczak and Claire Cavanagh}


Posted by Maria * 7:30 da tarde * 0 comments

Eu: "Queres que faça isso aqui? À frente dos painéis de São Vicente*?"

Ele: "Sim."

Eu: "Porquê?"

Ele:














Eu: Ok. [olhei à minha volta para ter a certeza de que estávamos sozinhos e fiz o que ele me pediu...]




*...nunca pensei que uma visita ao Museu de Arte Antiga pudesse ser tão sexy.


Posted by Maria * 2:00 da tarde * 0 comments

Ontem quando cheguei em casa o H. estava na sala, sentado na poltrona. De fato e gravata, ombros tensos, olhar distante. Disse-lhe olá e ele respondeu sem olhar para mim. Como é que o vou fazer sorrir? Foi o meu primeiro pensamento, o segundo foi um pouco psicopático. Quando descobrir quem foi o filho da puta que o deixou assim vou arrancar-lhe as tripas e usá-las para o enforcar. Ok, sou um pouco violenta quando chateiam as pessoas que amo. E era óbvio que o H. estava chateado e preocupado ao ponto de ainda não ter tirado o casaco nem a gravata. Sentei-me no sofá e abri a boca para dizer qualquer coisa mas nada do que eu tinha para dizer era relevante. Fechei a boca e olhei para as minhas mãos. As minhas mãos têm um vocabulário ilimitado... Levantei-me, tirei o casaco de malha e descalcei as botas. Aproximei-me do H. em silêncio, apoiei as mãos nos seus ombros e sentei-me no seu colo de frente para ele. "O que é que estás a fa..." coloquei um dedo nos seus lábios e abanei a cabeça. Ele semicerrou os olhos mas obedeceu à minha ordem silenciosa. Usei as pontas dos dedos para acariciar a sua testa, sobrancelhas, nariz, orelhas, linha do maxilar, queixo... demorei mais tempo quando os meus dedos chegaram à sua boca... não consegui resistir, ele tem uma boca tão sensual... Depois desapertei-lhe o nó da gravata e desabotoei-lhe a camisa. Coloquei a mão esquerda no seu peito e senti o bater do seu coração. Olhei-o nos olhos e esperei que ele voltasse para mim. O H. colocou a sua mão em cima da minha e sorriu. Os seus lindos olhos dourados também sorriram e eu sorri aliviada. Enfiei os dedos no seu cabelo ruivo e beijei-o na testa com ternura. Ele abraçou-me com força e murmurou ao meu ouvido "Obrigado, coelhinha."


Posted by Maria * 2:30 da tarde * 0 comments




Posted by Maria * 1:33 da manhã * 0 comments

Vou menos vezes ao bar do Scarface mas quando vou é uma experiência que me rasga emocionalmente. Tantas coisas marcantes aconteceram naquele bar. Mas a mais marcante de todas foi quando o H. me disse que tínhamos de nos afastar por umas semanas... Tecnicamente foram 9 dias mas esperar foi doloroso. Ontem à noite cantei esta música especialmente para o meu marido. O meu querido demónio ruivo não tirou os olhos de cima de mim. Culpa da letra* ou do vestido*?

Helpless as a baby
Sensual disguise
I can't help but love you
It's getting better all the time!

But I can't help it if I wanted to
I wouldn't help it, even if I could
I can't help it if I wanted to
I wouldn't help it, no.

Love makes me feel so, so...

Love to run my fingers
Softly while you sigh
Love came and possessed you
Bringing sparkles to your eyes.

Like a trip to heaven
Heaven is the prize
And I'm so glad I found you
You're an angel in disguise.


Esperanza Spalding - I Can't Help It *

*
 


Posted by Maria * 7:19 da tarde * 0 comments



 
(...) Now i may have faith to make mountains fall
But if i lack love then i am nothing at all
I can give away everything i possess
but am i without love then i have no happiness
I know i'm imperfect and not without sin
but now that i'm older all childish things end.


Tell him i need him
Tell him i love him and it'll be alright


I'll never be jealous and i won't be too proud
Cause love is not boastful
Oh and love is not loud
Tell him i need him
Tell him i love him
Everything is gonna be alright

Now i may have wisdom and knowledge on earth
But if i speak wrong then what is it worth
See what we now know is nothing compared
to the love that was shown when our lives were spared
(...)


Posted by Maria * 2:57 da tarde * 0 comments

image


Posted by Maria * 8:55 da tarde * 0 comments



Posted by Maria * 6:54 da tarde * 0 comments

*I left my love in San Francisco*
That’s okay, I was bored anyway
 
 
 
*I left my love in the field*
That’s okay, I was born in L.A.


Posted by Maria * 4:54 da tarde * 0 comments

O claustro do convento de Santa Maria do Bouro estava vazio... Olhei para o H. e ele sorriu. Um sorriso decadente, deliciosamente perigoso, puramente sexual. Sequei as palmas das mãos [suadas como as mãos de uma rapariguinha inexperiente] ao vestido e depois ajeitei o cabelo. O penteado era demasiado elaborado e formal mas a minha roupa assim o exigia. Vestido comprido, veludo preto, mangas compridas, decote modesto [mas como não estava a usar lingerie essa modéstia não serviu de nada]. Baton rosa escuro, eyeliner preto. Sapatos pretos, saltos vertiginosamente altos. Durante o jantar senti-me poderosa porque estava completamente nua por baixo do vestido e ninguém sabia. O H. desconfiava mas não tinha a certeza. Só confirmou as suspeitas quando discretamente, por baixo da mesa, deslizou o veludo até aos meus joelhos e enfiou a mão entre as minhas pernas. Prendeu a respiração...
"Tu és uma coelhinha muito, muito, muito má. Sabes que detesto castigar-te mas isto é inaceitável. Terás de sofrer as consequências."
"Inaceitável? Então porque é que estás tão duro?" esfreguei-o e apertei-o, deliciando-me com a reacção do seu corpo [toalhas de mesa compridas são muito convenientes].
"Pára, coelhinha. Só estás a piorar as coisas..."
"Leva-me para o quarto e deixa-me aliviar a tua dor. Com a minha boca."
"Anda"
Mas em vez de levar-me para o quarto levou-me para o claustro.
"Senta-te."
Sentei-me num pequeno muro e apoiei o ombro à coluna da arcada. A sua braguilha estava à minha frente, a altura do muro era perfeita e o H. não teve de esperar. As minhas mãos foram rápidas, o silêncio foi quebrado pelo som do fecho das calças... Lambi a cabeça, deslizei a língua até à base e depois mordisquei-o delicadamente. Mas a fome depressa tomou conta de mim, chupei-o, devorei-o, senti-o no fundo da garganta, engoli tudo...
"Coelhinha, adoro a tua boca." acariciou os meus lábios com o polegar.
"E eu adoro o teu sabor." lambi-lhe o polegar e ele fechou os ohos.
"Está na hora de irmos para o quarto."
Finalmente!
 
 


Voltámos para casa hoje.
A pousada é maravilhosa.
Ideal para escapadas eróticas românticas.


Posted by Maria * 11:50 da tarde * 0 comments




Posted by Maria * 8:58 da tarde * 0 comments


 
 
 
"Because... it's important to me."
Uncle Charlie, creepy bastard...


Posted by Maria * 1:36 da tarde * 0 comments

I'm out of the game
I've been out for a long time now
I'm lookin' for something
Can't be found on the main drain, no [aquilo que eu procurava encontrei neste maldito jantar.]
I'm out of the game [o meu marido é mais do que suficiente, acreditem...]
I've been out for a long time now
I'm looking for something
Can't be found on the main drain no [beijei muitos sapos...],

Look at you, look at you, look at you, look at you Suckers!
Does your mama know what you're doin'?
Look at you, look at you, look at you, look at you Suckers!
Does your mama know what you're doin'?

You're only a child
With the mind of a senile man
You're only a young thing [não era assim tão nova, tinha 22 anos],
'Bout to sleep with a sea of men
[não dormi com dezenas mas foram boas experiências apesar dos pesares e dos eteceteras e tais e afins...]
Just hangin' around,
Wearin' somethin' from God knows where.
Just havin' a ball [é claro que me diverti, ignorance is bliss]
Makin' all of the thin cards fall.

Look at you, look at you, look at you, look at you Suckers!
Does your mama know what you're doin'?



Look at you, look at you, look at you, look at you Suckers!
Does your mama know what you're doin'?

Say, come over here,
Let me smell you for one last time
Before you go out there
And ruin all of the world [por acaso não arruinei ninguém, acho eu...], once mine.

I'm outta the game
I've been out for a long time now
I'm lookin' for something
Can't be found on the main drain, no

Look at you, look at you, look at you, look at you Suckers!
Does your mama know what you're doin'?
Look at you, look at you, look at you, look at you Suckers!*
Does your mama know what you're doin'?

*yep, otários! não percam tempo com cabrões/as manipuladores/as e sem coração!

[esta música faz-me sorrir, há tanta verdade nas palavras do Rufus... eu compreendo o miúdo gay que dormiu com um mar de homens, a inexperiência, a excitação, a estupidez... as miúdas também são assim, a estupidez e o amor são universais:P]


Posted by Maria * 11:55 da tarde * 0 comments



Name: Maria

Birthday: 07/12/1983

Location: Campo de Ourique

Favourite tv shows:

Sherlock - Wallander

Favourite movie: Marnie

Favourite band: The Heavy



True Blood Net The official Neil Gaiman Tumblr, but honestly no better than the unofficial Neil Gaiman Tumblrs out there. Amanda "Fucking" Palmer! Dedicated to Daniel The Daily Show with Jon Stewart Colbert Nation Monty Python's Completely Useless Web Site Pink Floyd & Co 5ives FLY GUY 2 pontos, parágrafo, travessão A Sleepless Heart Ouriço-Cacheiro Sei Lá! Scorpion's Corner Um dia de cada vez... Sala de visitas da Zona D Há sempre um livro... à nossa espera! Estrelas no Tecto a vida é um tango Molly Crabapple a softer world Draw or Die!!! Arschblog Le blog de lydia Toupouri! .chez kek. madame fa madel Blah, Blah, Blog! Kawaii Not: the webcomic for cute gone bad! adventures of a knitting meemster Isn't this exactly where you'd like me? Crazy/Beautiful




















World Refugee Day Suit and Tie Sweet and Delicious Vulnerável Margaret Thatcher’s government Enfance - Innocence - Vengeance 5 I prefer... Proibido Mãos

Junho 2006 Julho 2006 Agosto 2006 Setembro 2006 Outubro 2006 Novembro 2006 Dezembro 2006 Janeiro 2007 Fevereiro 2007 Março 2007 Abril 2007 Maio 2007 Junho 2007 Julho 2007 Agosto 2007 Setembro 2007 Outubro 2007 Novembro 2007 Dezembro 2007 Fevereiro 2008 Março 2008 Abril 2008 Maio 2008 Junho 2008 Julho 2008 Agosto 2008 Setembro 2008 Outubro 2008 Novembro 2008 Dezembro 2008 Janeiro 2009 Fevereiro 2009 Março 2009 Abril 2009 Maio 2009 Junho 2009 Julho 2009 Agosto 2009 Setembro 2009 Outubro 2009 Novembro 2009 Dezembro 2009 Janeiro 2010 Fevereiro 2010 Março 2010 Abril 2010 Maio 2010 Junho 2010 Julho 2010 Agosto 2010 Setembro 2010 Outubro 2010 Novembro 2010 Dezembro 2010 Julho 2011 Agosto 2011 Setembro 2011 Outubro 2011 Novembro 2011 Dezembro 2011 Janeiro 2012 Fevereiro 2012 Março 2012 Abril 2012 Maio 2012 Junho 2012 Julho 2012 Agosto 2012 Setembro 2012 Outubro 2012 Novembro 2012 Dezembro 2012 Janeiro 2013 Fevereiro 2013 Março 2013 Abril 2013 Junho 2013












tomcat hosting | diseño flyer




Online visitors counter users online